Existem milhares de idiomas e dialetos, 6.912 para ser mais preciso, segundo o compêndio Ethnologue, considerado o maior inventário de línguas do planeta. Entretanto, podemos dizer que dentro das Relações Internacionais o universo de línguas é reduzido, pois as organizações e as empresas elegem algumas línguas como base para a comunicação.

Se somarmos os 10 idiomas com maio número de falantes nativos (primeira língua), atingimos metade da população global e os 6 idiomas oficiais da ONU estão nessa lista:

  1. Mandarim – 1.051 milhões – China, Malásia e Taiwan.
  2. Hindi – 565 milhões – Índia, regiões norte e central.
  3. Inglês – 545 milhões – EUA, Reino Unido, partes da Oceania.
  4. Espanhol – 450 milhões – Espanha e Américas.
  5. Árabe – 246 milhões – Oriente Médio, Arábia, África do Norte.
  6. Português – 218 milhões – Brasil, Portugal, Angola.
  7. Bengalês – 171 milhões – Bangladesh, nordeste da Índia.
  8. Russo – 145 milhões – Rússia e Ásia Central.
  9. Francês – 130 milhões – França, Canadá, oeste e centro da África.
  10. Japonês – 127 milhões – Japão.

A Organização das Nações Unidas (ONU), por exemplo, publica os documentos oficiais em seis idiomas e durante as reuniões os membros podem utilizar qualquer um deles para falar. As línguas oficiais da ONU são: espanhol, inglês, chinês, russo, francês e árabe. Esses idiomas são foram definidos devido a diversos fatores, tais como: peso econômico e político dos países falantes, relevância histórica para a diplomacia, número de falantes total, línguas francas regionais, etc.

Já o Concurso de Admissão a Careira Diplomática, o CACD, defini exige conhecimento de 3 línguas estrangeiras: espanhol, francês e inglês. Se observamos a posição geográfica do Brasil facilmente compreendemos o porquê da língua espanhola, nossos vizinhos majoritariamente utilizam o idioma.

Quanto a língua inglesa, existem estudos para definir a influência do idioma, mas não é preciso saber disso para constatar que o Inglês é a principal língua para os negócios internacionais, sendo o idioma mais estudado com mais de 2 bilhões de estudantes em todo o mundo. Como língua materna, existem cerca de 500 milhões de faltantes, mas esse número chega a 1,5 bi se consideramos o número total de falantes.

E a escolha da língua francesa é muito questionada e à primeira vista os motivos não parecem tão claros. Os pesos diplomático e cultural históricos, além da influência do francês na África, justificariam essa escolha.

O internacionalista deve procurar estudar línguas como instrumento de trabalho, para ampliar as possibilidades de comunicação. Mas quais idiomas? Para auxiliar a responder essa pergunta, conheça os idiomas mais estudados no mundo:

  1. Inglês – Já comentamos aqui, trata-se do idioma dos negócios por excelência, é o idioma mais estudado e falado como segunda língua. Países com peso econômico e geopolítico importantes falam a língua inglesa.
  2. Alemão – A Alemanha é a maior economia da Europa, com considerável influência dentro da União Europeia e destino de milhares de imigrantes e estudantes, além de ser líder em diversos setores da indústria, se tornando língua essencial para engenheiros, por exemplo.
  3. Francês – A França também apresenta características parecidas com a Alemanha, e somado aos fatos já mencionados.
  4. Espanhol – Também considerado um idioma de peso global, pois é possível encontra falantes em todas as partes do mundo e em diversos setores da indústria, é a língua românica mais falada.
  5. Mandarim –  A China cresce economicamente e a importância do idioma também. Para fazer negócios com os chineses e também para acesso as tecnologias gestadas no pais asiático, dominar o idioma pode ser um diferencial muito importante.
  6. Holandês – a Holanda é um importe países para logística da Europa, sendo a porta principal de entrada das exportações brasileiras.
  7. Português – a língua vernácula também tem sido considerada importante para estudos, e também é possível encontra falantes em todas as partes do mundo. E tem crescente importância na África e na América do Sul.
  8. Italiano – diversas empresas e marcas italianas estão presentes do Brasil.
  9. Russo – considera a língua franca do Espaço Pós-Soviético, o russo ainda é muito importante para setor aeroespacial e para as comunicações entre os países do leste europeu e da Ásia Central.
  10. Japonês – O Brasil possui a maior comunidade de japoneses vivendo fora do Japão, pais que é líder em diversos setores da economia.

A primeira língua que o internacionalista deve dominar é o Inglês. A segunda língua estrangeira deve ser o espanhol. E se possível, o internacionalista deve definir outros idiomas segundo a influência econômica, política, cultural, social e setorial, ou seja, isso depende dos interesses profissionais e particulares do internacionalista.